[CIF] Clã Iroh Fortress

Clã Iroh Fortress
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Desinos Cruzados

Ir em baixo 
AutorMensagem
Shikamaru(Iroh)



Número de Mensagens : 3
Aviso :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 22/04/2008

MensagemAssunto: Desinos Cruzados   Sab Maio 03, 2008 3:33 pm

Capítulo 0 – O Prólogo

Na nossa história há um pobre filho de pescador:
“Ola, meu nome é Haku e tenho 21 anos. Eu moro numa ilha no litoral sul da Nação do Fogo e meu pai é pescador. Meu pai não tem muito lucro pois aqui no litoral temos que pagar impostos para pescar, por isso vamos seguidamente a ilha Ember, la é onde os nobres passam as férias e conseguimos vender peixes bem caro lá. Meu principal sonho é ser sonho é ser Senhor do Fogo para dar aconchego a todos os pobres, eu não sei o que eu faria para cumprir este sonho, não sei mesmo. Um ouro sonho que criei a pouco tempo, lendo na biblioteca na cidade, é conhecer os Guerreiros do Sol e os Dragões. Eu dobro muito pouco fogo, então á alguns dias mandei uma carta para o exercito, porque o período de convocação foi adiantado em um mês este ano.”

Na história também há um nobre ambicioso:
“Prazer, me chamo Lloyd, e tenho 17 anos. Moro na capital da Nação do Fogo, onde só moram nobres, e meu pai é um dos generais do conselho. Nós somos muito nobres então moramo na frente do palácio. Há pouco tempo eu vi a princesa mais velha saindo do palácio e simplesmente me encantei. Meu sonho é se casar com a princesa e se tornar Senhor do Fogo, além de ter um grande desejo de provocar guerras, principalmente contra o nosso elemento oposto, a água. Se eu fosse Senhor do Fogo eu seria o comandante perfeito e dominaria o mundo inteiro apenas para a Nação do Fogo, esse é o meu 'felizes para sempre'.”

Também vou contar a história de uma princesa mimada:
“Oi gente, me batizaram de Azula, eu recebi esse nome em homenagem a uma princesa que reinou a muito tempo. Tenho 15 anos de vida e sou muito bonita. Eu tenho 3 irmãos, o mais velho se chama Luckz e tem 23 anos, a minha única irmão se chama Jean e tem 16 anos e o mais fofo meu irmão mais novo se chama Dig e tem 1 ano. Meu irmão Luckz é mal encarado e não fala muito comigo, eu mau o conheço. E moro na capital e ganho tudo que eu peço por isso não tenho muitos sonhos. Meus únicos sonhos são aqueles que o dinheiro não pode comprar: eu queria que meu pai vivesse para sempre e que o Luckz me respeitasse mais, ai então seriamos uma família feliz.”

O ultimo protagonista da nossa historia é um dobrador destemido:
“Eai gente, meu nome é Rayver, moro no Pólo Norte e tenho 15 anos. Meu pai morreu para um monstro marinho quando eu tinha 3 anos, aquele foi o pior dia da minha vida. Desde então minha mãe vem me preparando para ser um grande dobrador, dos cinco aos dez anos minha mãe mi botou numa escola júnior de uso de armas, hoje já sei usar perfeitamente muitas armas. Amanhã vou começar a treinar dobra de agua com o mestre do pólo norte, Deiman. Então quando eu completar 16 anos vou poder entrar no exercito e restaurar a honra da minha família, este é meu sonho desde que meu pai morreu, a 12 anos atrás.”

O destino destes quatro jovens estão cruzados pelo destino, mas muitas perguntas estão a se definir através do tempo: Como eles vão se cruzar? Onde eles vão se cruzar? e Quando eles vão se cruzar?Descubra isso lendo todos os capítulos dessa fantástica fanfic.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Shikamaru(Iroh)



Número de Mensagens : 3
Aviso :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 22/04/2008

MensagemAssunto: Re: Desinos Cruzados   Sab Maio 03, 2008 3:34 pm

Capitulo 1 – O Começo

Os pássaros estavam cantarolando, o Sol recem nascerá no sul da Nação do Fogo. Haku acordara no mesmo instante por efeito da luz do mesmo. O garoto esfregava cara sentado em seu cama com um colchão de palha. Após se esfregar o filho de pescador se levantou e trocou de roupa. Seu vestimento era todo remendado pois tinha dinheiro para comprar outra roupa, seus pais teriam outra prioridade de uso do dinheiro, a alimentação de seu filho. O garo to anda até a cozinha e senta em uma cadeira velha.
-Mãe, me serve o peixe? - perguntara o garoto que já estará acostumado a comer peixe em todas suas refeições.
-Sim filho- falara a mãe já servindo o peixe em um prato.
-Obrigado mãe!- o garoto já agarrara o peixe e estava pronto para dar uma abocanhada.
-Me diga uma coisa filho, quando vão te convocar para o exercito?- a mãe do garoto já estará preocupada com a renda de seu marido e sabia que o filho ajudaria em casa.
-Eles me prometeram que iriam me convocar até o fim da semana!- o garoto já perceberá a aflição da mãe sobre a escassez de dinheiro.
Haku se move em direção sua mãe e berija-a...
-Te amo mãe, agora vou a praia treinar dobra, Até mais!

*

O valente dobrador já teria acordado à uma hora. Ele estava sentado num pedaço de gelo , com uma expressão de sono, esperando seu mestre chegar. Quase não se aguentava, pois nunca terá acordado tão cedo. Vendo iria agüentar dobrou um pouco de agua do centro do templo e lavou seu rosto. Algum tempo após ele verá seu mestre descendo as escadas e se levanta levemente.
Seu mestre chegou a sua frente e falara:
-Rayver, esta pronto?- perguntava o mestre empolgado.
-Estou sim, senhor.- o garoto queria aprender a dobrar, mas estará com muito sono e não falara com muita empolgação.
-Senhor esta no céu, me chame de Daimon.- falara a seu pupilo não querendo aparentar ter idade.- Então vamos começar?
- Sim, se... que dizer Daimon.
Ao longe, Alice, mãe de Rayver, via Daimon e o próprio filho executarem algumas dobras e sorria de orgulho do filho. A cada dobra ela ficara mais orgulhosa do filho, até chegar ao pónto de pensar:”Rayver ainda vai entrar para história de todas a nações”.

*

O garoto ambicioso estava tomando café, já imaginando os seus de reinado. Estará ainda de roupão pois recém acordará. Seu pai entrará na sala e sentará ao seu lado.
- Filho, você acha que já tem maturidade para ser um general?- perguntara o pai, sabendo que isto era muito desejado pelo filho.
- Sério pai? O Senhor do Fogo me convocou? Ele descobriu meu talento?- perguntara o garoto empregadíssimo, ainda sem ter engolido todo o pão que estará mastigando.
-Calma filho, ainda não. Eu apenas vou viajar por algum tempo, e preciso de alguem para me substituir por esse tempo.- explicará o pai.
-Legal, eu posso fazer qualquer coisa? Propor qualquer coisa ao Senhor do Fogo?-entupia o pai de pergunta ainda muito empolgado.
-Lloyd, olhe para mim, vou repetir pela ultima vez: Você pode fazer o que você quiser!- Lenn esclarecia as condições para seu filho.
- Valeu pai, te amo-falava o filho dissimuladamente.
Lenn se retira da sala de jantar. Após alguns minutos, Lloyd, termina de tomar café e troca a roupa, e vai para o escritório da mansão onde mora. Senta numa cadeira n frente de uma escrivania. Abre uma gaveta e pega um mapamundi e um pergaminho em branco e começa a escrever e rabiscar no mapa.

*

Já fazia horas que teria amanhecido e a princesa Azula finalmente se desenrolara das e cobertas e começara a se levantar se espreguiçando. Então depois de algum tempinho ela se levanta e se veste com um roupão rosa por cima do pijama. Foi até o banheiro do seu quarto e lavou o rosto, quando escutara uma batida na sua porta. Ele caminha até a porta depois de arrumar seu cabelo cantarolando e ve que há uma carta na frente da porta que provavelmente foi passada por baixo dela. Pegou a carata e fez um gemido de curiosidade: Hummm..., então ela abre a carta e lê o que esta escrito:
“Querida Filhinha,

Você não vai me encontrar pelo resto da manhã aqui no castelo, porque eu estarei um tour pela capital, analisando as necessidades dos nobres. Mas na verdade eu escrevi esta carta com intuito de avisa-la para encontrar sua irmã e Lenn no porto da Cidade Porto, que você vão viajar para o Reino da Terra, para você falar com a sua amiga Lina, a princesa da Terrra.

Até mais, beijos querida!”
Azula ficou muito feliz com essa notícia pois amava ir visitar sua amiga Lina e chegou a dar um grito que ecoou por todo o palácio.
-Ops!- exclamou a princesa arrependida do seu grito.

*

Na praia só se via Haku lançado fogo para todo o lado. Até que ele se cansa e volta para casa. A uns dez metros de casa ele ve que os soldados estão na frente da sua casa, então sai correndo para receber a convocação.
Na mansão de Lloyd, só se ouvia o grito do garoto:
-Terminei!Está perfeito!- gritava Lloyd empolgado

*

Ainda na capital, Lenn andava normalmente pelas ruas, até que vira em um beco, olhando para todos o lados percebe um vulto na sua frente.
-Então, como está a situação Lenn?- perguntava o vulto.
-Senhor, eu vou viajar com as princesas e vou pegar o cara certo para o plano, e o Lloyd já foi influenciado o bastante para fazer um plano.- relatava Lenn.
-Perfeito! O plano vai começar como planejado!- exclamava o vulto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
BarretoUsA
Admin
Admin
avatar

Número de Mensagens : 286
Idade : 24
Localização : Templo do Ar do Norte (OPI)
Aviso :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 12/04/2008

MensagemAssunto: Re: Desinos Cruzados   Seg Maio 05, 2008 7:58 pm

O/ Cool

Continua.... xD

_________________



Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Shikamaru(Iroh)



Número de Mensagens : 3
Aviso :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 22/04/2008

MensagemAssunto: Re: Desinos Cruzados   Qui Maio 08, 2008 11:57 pm

Capitulo 2 – A Proposta de Lloyd.



Estava quase na hora do almoço e Rayver ainda permanecia treinando a dobra de água com seu mestre, Daimon. O garoto já estava exausto depois de quase quatro horas de treino.

Seu mestre, também cansado sugeriu uma pausa:

-Por hoje é só Rayver!

-Muito obrigado por esta aula Daimon! Eu aprendi muitos principios básicos da dobra de água. -agradecia o garoto totalmente indisposto para continuar a treinar e com muita fome.

O mais novo dobrador de água após agradecer ao seu mestre sai caminhando subindo uma escada de gelo. Degrau por degrau, passo por passo, ele se desgastava mais, pois ele nunca tinha treinado tanto tempo. No final da escada ele encontra sua mãe, Alice, encostada num pilar lateral do topo da escada...

-Oi mãe! O almoço ta pronto? -perguntava o garoto morrendo de fome.

-Esta sim, Rayver! Vai indo na frente que já vou logo após de você.

-Tudo bem. -falava o garoto já se locomovendo.

Daimon ainda estava no templo, sentado na berada da fonte descansando e se limpando com um paninho, se fosse no inverno ele nunca ficaria assim, mas já que esta na época do desgelo (verão) está uma temperatura um pouco mais alta no pólo norte. Quando o mestre vê uma linda mulher descendo pela escadas, ele auto maticamente se levanta e aceita o abraço da linda mulher que correu tanto só para lhe dar um abraço.

-Então, quando vamos nos encontra de novo, Alice?

-Hoje a noite, lá em casa eu vou preparar um jantar para você.

-Mas, e o Rayver? -perguntava o mestre preocupado com a reação do seu pupilo.

-Por isso mesmo, eu não quero mais esconder dele. –explicava a mãe com o segredo já a algum tempo engasgado.

-Se você acha que está na hora, tudo bem! -se despediu com um beijo de sua paixão.



*



Haku se aproximará cada vez mais para falar com os soldados. Já fazia um bom tempo que ele queria entrar no exército para ficar cada vez mais próximo do cargo de Senhor do Fogo. A cada passo ele sentia que estava mais próximo de cumprir seu sonho. Finalmente chegou na frente dos soldados que já estavam cansados de bater na portas e não ser atendidos.

- Vocês querem oquê? -perguntava o garoto já sabendo a resposta.

-Você é Haku Konam? -o soldado respondia ao garoto com uma pergunta com esperança de uma resposta positiva para não precisar esperar mais.

-Sim.

-Bom, sua carta para o exército foi aceita e você viajara conosco ainda hoje, arrume suas malas e esteja no porto daqui uma hora.

-Certo, vou arrumar minhas coisas. -falou o garoto empolgado.

O garoto se despediu dos soldados com o cumprimento tradicional da Nação do fogo e vice-versa. Então ele entrou para dentro de casa e começou a arrumar suas malas para viajar.

Após arrumar tudo ele deixa um bilhete par os seus pais dizendo que iria viajar com o exército.

O navio já estava quase saindo quando Haku entra no próprio. Lá dentro ele vê muitos recrutas como ele, alguns até conhecidos. O garoto já imaginava sua carreira daqui pra frente até ser Senhor do Fogo.



*



Lloyd após concluir o que estava fazendo pegou os pergaminhos e colocou em uma mochila. Logo em seguida saiu de casa em direção ao palácio. Caminhava pela imensidão e corredores que estavam ecoando cada passo seu. Subiu e desceu escadas e não se acho no palácio. Até um soldado reparar:

-Senhor, a que se deve a visita ao palácio? -perguntava o soldado fazendo o seu trabalho.

-Prazer, meu nome é Lloyd, sou filho de Lenn, estou aqui para substituí-lo por algum tempo. E queria saber teria alguma reunião? - perguntava o garoto esperando uma resposta positiva.

-Hum... Tem sim uma reunião, só que é ao por do sol, vai demorar um pouco. - esclareceu o soldado.

-Muito obrigado oficial!

O garoto empolgado saiu do recinto empolgado, não via a hora de falar com o Senhor do Fogo, e chegar mais perto do próprio cargo.



*



A princesa mais nova já estava embarcada na viagem, onde estavam ela, Lenn e sua irmã mais velha Jean. Lenn estava em um canto mais escuro do barco:

-Senhor, tudo está saindo como planejado, sem a Jean no conselho Lloyd vai convencer o senhor do fogo fácilmente. E eu conheço o meu filho, ele vai propor exatamente o planejado. -esclarecia Lenn.

-Espero que seja verdade o que está falado Lenn, se não você já era. Se seu filho não fizer o planejado, eu vou ter que fazer o papel dele, e ficaria muito na cara no futuro quem eu sou. -ameaçava vulto.

-Sim senhor. -falava Lenn se curvando. -Mas agora tenho que ir porque tem alguém se aproximando.

A pricesa Jean estava fazendo uma ronda pelo navio, pois não confiva 100% nos soldados. Ela foi caminhando até perceber um movimento num corredor escuro. Imediatamente ela faz uma chama na sua mão. Foi se aproximando até perceber outro movimento, mas desta vez o vulto estava entrando numa sala vazia. Ela entra logo após e vê um homem vestido totalmente de preto (como um ninja), apenas com um buraco grande e quadrado par os olhos e dois pequenas aberturas para o nariz.

-Quem é você? -perguntava Jean já preparada para atacar.

-Ninguém que vai atrapalhar na sua vida. -respondeu o homem se preparando para atacar na mesma posição que Jean.

-Só em entrar no meu navio já esta atrapalhando. -falava Jean já começando a se irritar.

-Sério, não precisamos lutar, não quero te machucar só quero sair daqui. -explicava o homem tentando convencer Jean.

Jean sem pensar duas vezes lança uma rajada de fogo na direção do homem. O homem pisa forte a frente e desfaz o fogo.

-Você é bem forte. -comenta Jean.

O homem faz uma faca de fogo em cada mão. Vai para cima de Jean dando facadas. Jean esquiva de muitas até uma cortar sua roupa

-Eu não quero te machucar. –explicou o homem preparando uma posição de defesa.

Ela faz um movimento para trás estica perna e lança fogo pelos pés. O homem bloqueia da mesma forma que tinha bloqueado antes. O homem se irrita e lança muito fogo na direção de Jean. Jean faz posição para bloqueio, mas não consegue e é jogada para trás até bater na parede. O homem aproveita a chance e sai correndo. Jean espera alguns segundos para se recuperar e sai correndo atrás do homem. A perseguição dura um cinco minutos até eles chegaram na parte aberta do navio.

-Peguem-no! -grita Jean.

Havia dois soldados lá. Um soltou uma rajada de fogo e com uma habilidade incrível o vulto passa por baixo da rajada. O outro lança uma rajada também. O homem demonstrando mais de sua habilidade, ainda em movimento numa rasteira pula por cima da rajada. O que ele não tinha percebido e que ele após pular a rajada ela já estará fora do navio caindo na água.

-Vou verificar se ele morreu. - fala o soldado.

O soldado se aproxima e de repente voa para outra lateral do navio.

-O que ouve? -pergunta Jean se aproximando do soldado atingido.

-Ele esta tão bem que me laço um raio, senhorita. -respondeu o soldado com uma voz fraca.

-Deixe ele lá, ele vai ser triturado pelo ventilador que move este navio.-ordenou a princesa.

-Sim senhorita!- exclamaram os dois soldados

O homem caiu na água após laçar o raio, ele conseguiu se ajeitar em uma posição que ele não iria se machucar quando entrou na água. Não tinha mais saída, não teria nada para ajudá-lo. Ele começou a ser absorvido pela correnteza do ventilador. Quando milagrosamente aparece uma corda na sua frente, ele se agarra nela e começa a subir. Quando ele está no meio do caminho a corda começa a ser puxada para baixo.

-Droga, o ventilador está puxando a corda! -exclamou o homem acelarando.

-Força soldados, se não o nosso mestre vai morrer -ordenava uma voz uma voz da janela aonde começava a corda.

O homem já estava quase no final quando a corda caiu da janela. Ele deu uma salto para segurar na janela, mas ele não alcançou. Então por outro milagre um sodado teve reflexo o bastante para segurar o homem pela mão.

-Ufa! Está foi por pouco! -exclamou o homem.

- Fico feliz por você esta vivo senhor. -comenta Lenn quando o homem já tinha entrado pela janela.



*



Um pouco mais tarde:

Já estava anoitecendo na Tribo do Norte, Alice já teria avisado ao seu filho Rayver que alguém especial iria jantar na sua casa hoje, mas ela não contou quem. Quando Rayver viu Deimon entrar pela porta ficou impressionado.

-Então filho o que achou? -pergunta a mãe esperando uma resposta positiva.

O garoto puxa a mãe para outro lugar e responde:

-Mãe vou ser bem sincero, eu não goste disso não...



*



Lloyd estava frente de seu primeiro conselho e ainda sentado bem próximo ao Senhor do Fogo mas não estava nervoso pois sabia exatamente o que falar pra provocar uma guerra.

-Bom começamos um novo conselho, e eu vou dar uma chance ao filho do meu querido general a expor suas idéias. -falava o bondoso Senhor do Fogo.

-Obrigado senhor, a minha proposta é: há algum tempo eu estava vendo os trabalhos de meu pai quando eu vi uma ameaça de ataque da Tribo da Água do Norte. Essa mensagm meu pai ocultou para não preocupar ninguém. Mas eu como sou prevenido fiz um plano de ataque a Tribo do Norte antes que eles nos peguem de surpresa. Após dar seus blefes o garoto bota um mapa na mesa com toda sua estratégia. -Então o que acharam?



***Continua***

Escritor:IrohTheBest Pyong
Corrigidor e Frmatador: Yoshi
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
[CIF]Mat.[CIF]
Membro CIF
Membro CIF
avatar

Número de Mensagens : 13
Idade : 22
Aviso :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 07/12/2008

MensagemAssunto: Re: Desinos Cruzados   Dom Dez 07, 2008 11:57 am

GOSTEI


Última edição por [CIF]Mat.[CIF] em Dom Dez 07, 2008 11:58 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
[CIF]Mat.[CIF]
Membro CIF
Membro CIF
avatar

Número de Mensagens : 13
Idade : 22
Aviso :
0 / 1000 / 100

Data de inscrição : 07/12/2008

MensagemAssunto: Re: Desinos Cruzados   Dom Dez 07, 2008 11:57 am

legal o começo1
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Desinos Cruzados   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Desinos Cruzados
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
[CIF] Clã Iroh Fortress :: Fan-Area :: Fan-Fics-
Ir para: